Bem-vindo à Vinci Hair Clinic!

Os transplantes de cabelo estão crescendo em todo o mundo. Um relatório publicado no ano passado pela Allied Market Research revelou que o mercado global de transplante capilar valia quase US$5 bilhões em 2021. A previsão é de que esse número suba para US$30 até 2030. Impressionante, não é? Mas isso é apenas metade da história. Curiosamente, os especialistas em cabelos dirão que aqueles que recebem tratamento representam a ponta do iceberg e que há muito mais pessoas com queda de cabelo que não fazem nada a respeito. Pelo menos um estudo confirma essa visão.

O que impede as pessoas de fazerem um transplante de cabelo? Existem algumas razões, mas uma das principais é que o tratamento para queda de cabelo ainda é considerado um procedimento cosmético.

Vejamos isso mais de perto.

Perpetuando o mito

A definição da palavra “cosmético” no dicionário refere-se à aparência de algo e não à sua substância. Categorizar a cirurgia de transplante capilar como um procedimento cosmético perpetua o mito de que as pessoas que fazem o tratamento são motivadas apenas pela vaidade. Isso, sem dúvida, impede as pessoas de fazerem o transplante. Afinal, quem quer ser rotulado de superficial ou vaidoso?

A realidade é diferente. Muitas pesquisas demonstraram que a perda de cabelo pode causar um trauma psicológico genuíno. Devasta a autoestima e a autoconfiança de um indivíduo, afetando sua capacidade de realizar seu trabalho e manter relacionamentos pessoais.

Mas não é só a associação com a cirurgia estética que prejudica a “marca” da restauração capilar. As pessoas também são desencorajadas por histórias de transplantes de cabelo ruins que continuam a ser notícia. É preocupante que nem todos venham de lugares distantes como a Turquia ou a Europa Oriental. Alguns surgem em lugares como o Reino Unido, e a razão disso também está ligada à classificação da cirurgia de transplante de cabelo como um procedimento cosmético.

Clínicas antiéticas

As informações sobre transplantes capilares ruins no Reino Unido não estão disponíveis publicamente. Portanto, é difícil saber dos números. No entanto, muitas clínicas respeitáveis acreditam que esses casos são resultado direto da cultura de lucro acima de tudo que se desenvolve entre alguns operadores no mercado de transplante capilar. Clínicas antiéticas são movidas pela necessidade de cortar custos e vender mais serviços. Eles atraem clientes com ofertas de preços baixos e economizam gastando menos na equipe e equipamentos.

Por que menos na equipe? Significa que indivíduos não qualificados são deixados para fazer o trabalho que deveria ser feito por médicos treinados. Pode haver um médico no local, mas raramente esta pessoa usará a lâmina cirúrgica. Técnicos não treinados às vezes são deixados para fazer as incisões em sua cabeça, um cenário que seria impensável em uma clínica mais respeitável. Quanto aos cuidados pós-operatórios adequados, isso é descartado no esforço de economizar dinheiro e minar a concorrência.

Preocupações regulatórias

Isso acontece por causa de como a cirurgia estética é regulamentada. No Reino Unido, tanto a cirurgia plástica (que abrange procedimentos estéticos) quanto a cirurgia médica são regulamentadas pelo General Medical Council (GMC) e pela Care Quality Commission (CQC). É importante observar, no entanto, que qualquer pessoa pode se chamar legalmente de “cirurgião cosmético” no Reino Unido, independentemente de ser ou não um médico registrado.

Isso tem implicações para a cirurgia de transplante de cabelo, uma vez que é classificado como um tratamento cosmético. Se fosse classificado como tratamento médico, apenas médicos devidamente qualificados seriam autorizados a realizar cirurgia capilar. A cirurgia de transplante capilar é um processo seguro quando realizado por profissionais médicos qualificados, mas, como em todos os procedimentos cirúrgicos, existem riscos e possíveis complicações. Esses riscos são amplificados quando o processo é realizado por pessoal não treinado.

Tudo isso enfatiza a necessidade de pesquisar as credenciais e a experiência de um profissional antes de se submeter a qualquer procedimento cosmético. Isso inclui a cirurgia de transplante de cabelo. É vital garantir que o indivíduo que realiza a cirurgia tenha as qualificações, o treinamento e a experiência necessários para concluir o procedimento com segurança e eficácia. Você também deve procurar alguém registrado no GMC no Reino Unido e confirmar com a clínica se essa pessoa fará a cirurgia.

Conclusão

Muitas pessoas acreditam que a cirurgia de transplante capilar deve ser classificada como um procedimento médico e não cosmético. É uma solução de mudança de vida para uma condição que causa sofrimento psicológico. Como tal, deve ser feito de forma segura e eficaz. Certifique-se de evitar empresas inescrupulosas, escolhendo uma clínica respeitável e estabelecida há muito tempo. Faça sua pesquisa!

Se você está experimentando queda excessiva de cabelo, não demore. Um especialista da Vinci Hair Clinic pode ajudá-lo com isso. Oferecemos uma consulta gratuita e sem compromisso a todos os nossos novos clientes. Você pode optar por fazer sua avaliação pessoalmente ou por telefone com o auxílio de fotografias. Por que esperar? Entre em contato conosco e marque sua avaliação hoje!